Produtividade Ninja: Foco e Disciplina para produzir mais... trabalhando menos.
 

O pequeno livro para remediar a procrastinação

Este post é uma série que tenho feito de traduções comentadas de posts do Leo Babauta, autor de zenhabits.net. O texto de hoje é especialmente bom, e acho todas as dicas bastante úteis. Além das dicas dadas pelo Leo, abaixo, eu comento algumas outras formas de combater o hábito de ficar enrolando… com a implementação […]

Este post é uma série que tenho feito de traduções comentadas de posts do Leo Babauta, autor de zenhabits.net. O texto de hoje é especialmente bom, e acho todas as dicas bastante úteis. Além das dicas dadas pelo Leo, abaixo, eu comento algumas outras formas de combater o hábito de ficar enrolando… com a implementação de outros hábitos. Que tal?

Segue a tradução livre do original The Little Book of Procrastination Remedies:

O Pequeno Livro para Remediar a Procrastinação

A procrastinação é um dos tópicos sobre os quais eu não canso de escrever. Não existe ninguém ao nosso redor que não fique enrolando ou procrastinando: é um fato da vida.

Está dentro de nós. Achamos que vamos fazer algo mais tarde, ou ler aquele romance clássico mais tarde, ou aprender francês depois. Mas sempre exageramos nas nossas estimativas sobre quanto poderemos fazer mais tarde. Exageramos na estimativa de conseguirmos combater a procrastinação no futuro.

Se o seu eu atual não consegue combater a procrastinação, por que conseguirá no futuro?

Acho que eu deveria cobrir algumas das estratégias de combate à procrastinação, tendo em vista o meu novo livro Focus (link para compra do livro em inglês). As pessoas querem formas de combater a procrastinação, de modo que elas possam realmente focar.

Aqui vai um guia rápido.

Por que procrastinamos

Vamos dar uma rápida olhada nos motivos que nos fazem procrastinar. Existem muitos motivos, que estão relacionados em formas diferentes:

1. Queremos gratificação instantânea. Ficar largado no sofá é bom, talvez melhor agora do que sair para fazer uma corrida. Ler blogs é mais fácil, agora, do que ler um romance clássico.  Checar o Facebook ou email é mais fácil, agora, do que fazer o projeto que estamos enrolando. Comer bolo de chocolate é mais saboroso, agora, do que comer vegetais.

2. Temos medo de algo. Podemos não escrever aquele nosso capítulo de livro por existirem problemas com a escrita que ainda não descobrimos (muitas vezes pelo fato de não termos pensado no assunto decentemente). Ou nós podemos estar com medo que vamos fracassar ou parecer idiotas ou estúpidos. Estamos com medo do desconhecido, o que é muito poderoso pois não examinamos o medo – apenas o deixamos escondido no fundo da nossa mente. Temer algo nos faz querer colocar pra baixo do tapete, adiar sequer pensar sobre o assunto, e fazer algo bastante fácil e seguro no seu lugar.

3. É fácil – não existe nenhuma consequência negativa agora. Quando estávamos na escola e tínhamos um professor olhando o que fazíamos e dando bronca quando não fazíamos as tarefas e exercícios, a tendência era fazer as tarefas (até quando alguns de nós descobriu que poderia ignorar as broncas). Mas quando chegamos em casa, algumas vezes não tinha ninguém de olho na gente… de modo que não havia nenhuma consequência negativa imediata em assistir TV ou jogar games. Claro que a gente poderia depois ficar com uma nota ruim amanhã, mas isso não é o momento imediato. A mesma coisa vale para o uso da Internet ou fazer outros tipos de procrastinação: vamos pagar por isso mais tarde, mas no momento presente ninguém está bravo conosco.

4. Exageramos na estimativa de quem seremos no futuro. Frequentemente temos uma longa tarefa de coisas que queremos fazer, pois pensamos que podemos fazer um monte de coisa no futuro. A realidade é geralmente um pouquinho pior do que esperamos, mas isso não nos impede de pensar que o futuro será diferente novamente. Pelo mesmo motivo, pensamos que é OK enrolar, pois vamos fazer isso mais tarde, com certeza. Nosso eu futuro será incrivelmente produtivo e focado! Exceto que nosso eu no futuro também é preguiçoso e não faz as coisas na hora. Maldito eu do futuro!

Quatro soluções poderosas

Agora que conhecemos os problemas, as soluções não devem ser muito difíceis de ser descobertas. Apenas não as deixe pra depois, ok?

1. Pare e pense. Quando permitimos os pensamentos acima seguirem sem estarmos realmente conscientes, acabamos procrastinando. Quando acabamos parando para pensar sobre esses pensamentos, podemos racionalmente perceber que eles estão errados. A gratificação instantânea de ficar enrolando ou comendo porcaria pode levar a gente ter problemas depois. Os medos são exagerados e não devem ficar na frente do nosso caminho.

Não ter consequências negativas agora não significa que não haverá consequências negativas mais tarde. Nosso eu do futuro não é tão fodão como gostaríamos de imaginar. Então, pense sobre as coisas que está fazendo, e comece a fazer mais dessa coisa racional. Use as estratégias abaixo também, mas o pensamento é o começo.

2. Aproveite o processo. Quando temos medo de algo, deixamos pra depois. Mas, ao invés, se podemos aprender a aproveitar e ter prazer, não será tão difícil ou terrível. Entre para o momento presente, e terá prazer em cada ação.

Por exemplo, se você quer sair para correr, não pense sobre a dura corrida adiante, mas sobre colocar seu tênis. Aproveite a simplificade dessa ação.

E então focalize em sair pela porta – não é tão difícil. Agora, focalize em fazer um aquecimento com uma caminhada rápida ou um trote. Isso pode ser gostoso. Aproveite. E, então, quando suas pernas começam a aquecer e você corre um pouco mais rápido, aproveite o belo ambiente. Esse processo pode ser feito com qualquer coisa, de lavar pratos a ler ou escrever. Aproveite o momento, sem pensar em coisas do futuro que você teme, e a atividade pode ser muito prazerosa e até divertida. E se for assim, você não vai deixar para depois.

3. Crie resposabilidades e comprometimentos. Se não tiver ninguém te vigiando, haverá a tendência de deixar a bola cair. Então crie um ambiente à prova de procrastinação: encontre pessoas para te cobrar. Eu entrei para um desafio online de boa forma nesse mês, de modo que eu posso relatar meus exercícios para o fórum. Fiz a mesma coisa para corrida, parar de fumar, escrever um romance. Você pode inclusive usar seus amigos e família ou Facebook, ou email.

4. Bloqueie o seu eu do futuro. Seu eu do futuro é tão propenso a enrolar como você. Então, bloqueie esse xarope. Use um programa como Freedom para bloquear seu acesso à Internet por um certo período de tempo, de modo que seu eu do futuro tem foco ao invés de ficar lendo blogs. Desligue sua TV a cabo, elimine a comida porcaria de sua casa, destrua seus cartões de crédito… faça o que for necessário para tornar bem difícil para seu eu do futuro enrolar ou cair em tentação. Ou pelo menos force seu eu do futuro a parar e pensar antes de fazer qualquer coisa boba.

Uma filosofia diferente

Três coisas a mais devem ser ditas sobre procrastinação:

1. Faça aquilo que te dá tesão. Se você fizer o que te dá tesão o tempo todo, você estará menos propenso a deixar de lado. Focalize naquilo que te excita, ao invés dos aspectos terríveis da atividade. Eu faço isso e a minha procrastinação é mais baixa do que nunca.

2. Enrole de forma produtiva. Se você vai enrolar, faça coisas produtivas enquanto enrola. Então se você não quer fazer seu projeto, pelo menos consiga finalizar algumas tarefas menores. Leia mais (link em inglês)

3. Algumas vezes, enrolar é OK. Eu não sou um cara anti-procrastinação, de forma alguma. Este guia é para quem quer combater, mas no meu livro, ficar de bobeira pode ser uma coisa maravilhosa. Ler coisas na Internet que são de meu interesse não é algo ruim. Algumas vezes, deixe a procrastinação aparecer. Mas em outros momentos você quer levantar a bunda do sofá e fazer algo acontecer.

Espero que este post tenha sido útil. Além das idéias do Leo, acho importante que o hábito de trabalho focado seja implementado em nosso dia a dia.

Uma das formas de conseguir o foco necessário é com a técnica Pomodoro de produtividade. Também recomendo a implementação de hábitos matutinos de empoderamento, assim como ciclos de foco e recuperação baseados no sistema de Jim Loehr e Tony Schwartz.

Falaremos mais sobre esses métodos aqui no Produtividade Ninja em breve – recomendo ficar sincronizado com nossas novidades dentro da lista Ninja.

Seiiti Arata é fundador da Arata Academy e autor do curso Como Aprender Mais Rápido. Está também focado no curso de enriquecimento A Classe Alta , no curso de carreira profissional Duplique Seu Salário e no treinamento em empreendedorismo EmpreDig.

Receba Dicas de Produtividade Por E-mail

COMENTÁRIOS DO FACEBOOK

Comentários

Ao deixar um comentário abaixo, você concorda com nossa Política de Comentários

  1. Adriano

    Legal, vou salvar pra ler depois.

  2. Eduardo

    Incrível, você parece ter lido a minha mente. Bora botar em prática isso tudo!

  3. Edson

    Eu utilizo ciclos de 30 min para realizar meus estudos e tarefas. Porém, durante a atividade eu tenho aquele pensamento dispersante de que eu tenho que fazer outra coisa urgente, como mandar um email ou fazer uma ligação. Para reverter isto, eu achei interessante listar as tarefas que possam nos afastar do nosso compromisso. O legal que é uma resposta ao cérebro de que iremos fazer a tarefinha que
    ele está sinalizando

Deixe uma resposta para Edson Cancelar resposta

* Campos obrigatórios

*